quinta-feira, 1 de junho de 2017

Procuradora chega a ganhar em apenas um mês o que trabalhador de salário mínimo não terá em 15 anos

Duas resoluções, publicadas em abril e março deste ano, permitem que funcionários do Ministério Público (MPRN) e do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) recebam como remuneração férias e licenças não tiradas.

Só em abril, o MP gastou R$ 19 milhões extras com o pagamento de 210 promotores e procuradores de justiça. Já o TJ, remunerou da mesma forma 754 servidores a um custo de R$ 27,8 milhões.

Uma procuradora chegou a receber R$ 171 mil, só com esses ‘direitos’, o que um trabalhador de salário mínimo não receberia em 15 anos.



As informações estão no Portal da Transparência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário