domingo, 25 de junho de 2017

Fachin autoriza abertura de inquérito contra o governador Robinson Faria


A pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Edson Fachin, autorizou a abertura de inquérito contra o governador Robinson Faria (PSD). Ele foi citado nas delações de Alexandre José Lopes Barradas, Fernando Luiz Ayres da Cunha Reis, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Ariel Parente e José Antonio Pacífico Ferreira, executivos da Odebrecht. Segundo o Ministério Público, Robinson, ao lado da prefeita de Mossoró, Rosalba Ciralini (PP), teria recebido R$ 350 mil em contribuições eleitorais em 2010 para facilitar a realização de PPPs (Parcerias Público-Privadas) da Odebrecht Ambiental no Estado. A intenção da empresa seria realizar obras de saneamento básico.

Além deles, o deputado federal Fábio Faria teria recebido doação de R$ 100 mil da empresa.
 Fabio Faria é filho do governador. Nas discussões da Odebrecht, eles tinham os codinomes de “Bonitão” e “Bonitinho”. Essa semana a presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, disse à Agência Brasil que as novas denúncias contra governadores que chegarem ao tribunal não ficarão paradas na Corte Especial – instância responsável por apreciar as acusações de crimes comuns atribuídos a chefes dos executivos estaduais. Além de Robinson, atualmente, pelo menos 13 pedidos de investigação contra oito governadores já foram convertidos em ação penal e aguardam decisão da Corte Especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário